DASOL
ABRAVA

Mostra Sustentável: Inovações e tecnologias de energia solar

Junho de 2012 promete ser um mês de oportunidades em negócios e conhecimento de materiais e serviços, que buscam orientar o mercado em relação à sustentabilidade. Um dos aspectos que cria expectativas é o espaço dedicado à construção civil.

Alternativas como aquecimento solar, aproveitamento da água de chuva e válvulas de descarga que minimizam a quantidade de água utilizada, serão apresentadas a todos os visitantes, no intuito de motivar arquitetos e engenheiros a criar o hábito de sugerir e incluir nos projetos de seus clientes materiais que reduzam o uso dos recursos naturais e, logo, o impacto ambiental da construção.

Durante o Seminário de Construção Sustentável, serão oferecidos minicursos de empresas especialistas em energia solar em parceria com engenheiros da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano (Semadur).

No minicurso “Energia solar e realidade brasileira”, arquitetos e engenheiros poderão atualizar-se nas inovações relacionadas as placas voltaicas e sistemas de aquecimento de água, e os aspectos relacionados a política e ao mercado no setor.

Outra inovação apresentada é o chuveiro híbrido, que ao utilizar água aquecida pela luz solar permite economia de energia e de recursos. Uma solução prática e barata, que pode reduzir em muito os despesas domésticos de muitas famílias.

A vantagem do uso deste tipo de tecnologia é que assim que o houver água suficientemente aquecida, pela energia solar, o chuveiro híbrido desativa instantaneamente o uso da eletricidade.

“O profissional ainda não se atentou para esse tipo de produto. As pessoas já têm alguma consciência da importância de incorporar a sustentabilidade em suas casas. Só falta os profissionais incorporarem em seus projetos”, reitera o arquiteto José Souza, da JSP Representações.

Ducha x chuveiro

Apesar dos termos serem utilizados em diversos casos existe uma diferença conceitual. A palavra ducha remete ao equipamento que não aquece a água com energia elétrica, ou seja, não possui uma resistência embutida e tem a utilidade de apenas regular o fluxo da água.

Chuveiros são equipamentos voltados para o aquecimento da água do banho e não apenas para sua dispersão. Com a utilização da eletricidade, os chuveiros têm um menor fluxo de água, necessário para aquecer a água no equipamento.

Já que as duchas não utilizam a energia elétrica, a água precisa chegar aquecida por outros meios, como aquecedores solares ou a gás. Os chuveiros híbridos mesclam os dois conceitos e por este motivo são inovadores, conseguindo mesclar as energias utilizadas, gerando economia de energia e auxiliando na preservação do meio ambiente.

O arquiteto afirma que nos últimos anos, o setor cresceu consideravelmente, principalmente no interior, graças a ações do governo como o “Minha casa, minha vida” que obriga a inclusão de sistemas de aquecedor solar para residências.

“Hoje, Dourados vende mais sistemas sustentáveis para empresas e residências do que Campo Grande”, encerra. O evento é promovido pela Prefeitura de Campo Grande por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano, e organizado pela Divisão de Fiscalização de Políticas Sustentáveis e Educação Ambiental e acontece de 5 a 7 de junho no Salão Golden Class, avenida Mato Grosso.

Fonte: MS Notícias

Notícias

  • Brasil sobe uma posição em ranking de maior custo de energia para a indústria

    Com os quatro últimos reajustes autorizados pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), o custo médio da energia elétrica para a indústria brasileira subiu em 2014 de R$ 292,75 por megawatt-hora (MW-h) para R$ 301,66 MW-h. O aumento de 3% fez o Brasil perder uma posição no ranking internacional de maior custo de energia elétrica formado por 28 nações, passando a ocupar a décima colocação.
    | Leia mais |
  • Comunidade da Reserva Mamirauá cria pousada com foco em turismo ecológico

    Uma das principais apostas das comunidades da Reserva Mamirauá para garantia de renda às gerações futuras é o turismo ecológico de base comunitária. A preocupação com a sustentabilidade do negócio está em todo canto da pousada flutuante. Cada bangalô possui duas placas de energia solar. Uma para aquecimento de água e outra para luz elétrica.
    | Leia mais |
  • Conta de luz na área da AES Sul subirá 28,86% nas residências

    Durou muito pouco a promessa de luz barata. A conta do acionamento das usinas térmicas devido ao baixo nível dos reservatórios das hidrelétricas começa a chegar sábado a cerca de 3,8 milhões de gaúchos atendidos pela AES Sul, distribuidora que opera em 118 municípios nas regiões metropolitana, dos vales e centro-oeste do Estado
    | Leia mais |
  • Franceses do Grupo Saint-Gobain não acreditam que Goiás “vai mal”, como quer a oposição, e abrem 2º fábrica no Estado, com investimento de R$ 35 milhões

    O Grupo francês Grupo Weber Saint-Gobain no Brasil inaugurou nesta segunda em Planaltina a sua segunda em Goiás. Com tecnologia de ponta e processo 100% integrado, que evita desperdício de materiais, a unidade de Planaltina atende ao conceito de sustentabilidade do Grupo Saint-Gobain, que prevê soluções tecnológicas para redução do consumo de energia, além de priorizar o reuso da água, aquecimento solar e câmara de despoeiramento para maior conforto dos trabalhadores
    | Leia mais |
Revista Sol Brasil – Fevereiro 2014

Conheça a Revista Sol Brasil


Torne-se um Associado
Indique este site | Mapa do Site
Av. Rio Branco, 1.492 - Campos Elíseos - São Paulo - SP - CEP 01206-001 | Telefone 11-3361-7266 | Fax 11-3361-7160